anuncie AQUI
Jacareacanga

Mulher é presa pela Polícia com quase 7 kg de maconha no Pará

Em uma operação preventiva realizada por equipes da 72° Pelotão Policial Destacado (72° PPD), que atuam em Jacareacanga, sudoeste paraense, resultou na prisão de uma mulher, em flagrante, transportando quase 7 quilos de substância semelhante à maconha dentro da bagagem.

10/06/2024 07h58
Por: portal pebas news
Fonte: redação

A Polícia Militar tem intensificado ainda mais o combate ao tráfico de drogas na Região Metropolitana e no interior do Estado, por meio de ações integradas com os demais órgãos de fiscalização estaduais e municipais como, também, por meio de operações preventivas coordenadas pelo Departamento Geral de Operações e colocadas em prática pelas unidades operacionais de cada localidade.

Em uma operação preventiva realizada por equipes da 72° Pelotão Policial Destacado (72° PPD), que atuam em Jacareacanga, sudoeste paraense, resultou na prisão de uma mulher, em flagrante, transportando quase 7 quilos de substância semelhante à maconha dentro da bagagem.

Os policiais militares realizavam fiscalização na via e em decorrência disso sinalizaram para que um ônibus interestadual, que vinha do Estado do Amazonas, parasse. Durante a verificação, encontraram na bagagem que pertencia a uma mulher seis tabletes de substância análoga à maconha, pesando cerca de 6,900kg. O caso foi registrado na Delegacia da cidade, onde a mulher foi autuada pelo crime de tráfico de drogas.

As ações pontuais de fiscalização nas rodovias do Estado objetivam a prevenção de crimes, e também a repressão e orientação aos indivíduos que transitam pelas vias. Diariamente, a PM atua em todas as localidades estaduais, intensificando abordagens e a presença policial aproximada.

Nenhumcomentário
500 caracteres restantes.
Seu nome
Cidade e estado
E-mail
Comentar
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Mostrar mais comentários